Latest Entries »


Botijão de Gás – Parte Um – Como tudo começou

Você sabe tudo o que é preciso saber sobre o botijão de gás??  Bem, talvez não!  O GLP (gás liquefeito de petróleo) engarrafado, o popular gás de cozinha, é um produto de primeira necessidade utilizado como fonte de energia na maioria dos lares brasileiros. Porém,  há muito mais para se saber sobre ele. Vamos começar pelo começo…

Por incrível que pareça, o início do uso de GLP engarrafado no Brasil foi consequência direta do famoso desastre ocorrido com o dirigível Hindenburg, também conhecido como Zeppelin, que pegou fogo no momento em que se preparava para descer em Nova Jersey, nos Estados Unidos, em 1937.

O Brasil, na época, tinha uma base para dirigíveis no Rio de Janeiro e um grande estoque de propano, que era o combustível utilizado nos motores dos zeppelins.  Esse trágico acidente abalou a confiança dos passageiros desse tipo de transporte, e o propano estocado para abastecer o Hindenburg acabou sobrando…

Em 30 de agosto de 1937, apenas quatro meses após o acidente, o imigrante austríaco Ernesto Igel bolou um jeito de aproveitar o estoque de propano  e criou a Empresa Brasileira de Gás a Domicilio Ltda. para vender o gás engarrafado. Surgia, assim, o botijão de gás!  Apesar das dificuldades iniciais e dos temores do consumidor com o novo produto, a ideia foi pegando aos poucos. Também pudera, para a maioria das pessoas a alternativa era cozinhar à lenha, carvão ou querosene… Nos anos 50 do século passado o gás em botijão já era muito disputado, e foi preciso aumentar a importação do produto e a fabricação de fogões a gás.

Botijão de Gás: Parte Dois – O que é?

Por pmontini

No primeiro post sobre Botijão de Gás falamos das suas origens aqui no Brasil. Agora vamos entender melhor o que é o GLP, ou gás liquefeito de petróleo, procurando evitar as questões muito técnicas. Como o nome já diz, GLP é um gás, ou melhor, uma mistura de gases derivados do petróleo. Existem dois gases dominantes dentro do botijão, o propano e o butano. O propano é mais leve que o butano e provoca aquela chama azul característica. O butano é mais pesado e queima por último. Por transportar partículas que se depositam no fundo no botijão, sua chama é amarelada. Por isso, quando a chama do fogão começa a ficar amarela é sinal de que o gás está acabando.

O GLP é, obviamente, inflamável, o que exige muita atenção no manuseio do botijão. Não tem cheiro, por isso um composto a base de enxofre é adicionado ao gás para revelar a sua presença caso haja vazamento. O GLP não é venenoso, mas é asfixiante. Por ser mais pesado que o ar, quando há vazamento de GLP num local fechado este vai se acumulando ao nível do chão e expulsa gradualmente o oxigênio do ambiente, causando asfixia em quem permanecer ali. Logo, botijão com vazamento precisa ser removido para um local aberto.

O GLP é engarrafado no botijão sob pressão, o que faz com que se torne líquido. Para suportar a pressão do gás, o botijão é feito de chapas de aço muito resistentes. Sua fabricação  obedece obrigatoriamente as normas técnicas do Inmetro, e estas são muito rígidas. No botijão de gás de 13kg, cerca de 85% do gás está em estado líquido e 15% em estado gasoso. Por isso nunca se deve deitar o botijão de gás, pois se o gás em fase líquida for expelido pode provocar acidentes muito sérios.

Existem  tipos diferentes de botijão em razão da quantidade de gás que comportam. Veja alguns deles: O P2 comporta 2kg e é geralmente utilizado em lampiões.  O P5 comporta 5 kg e é utilizado em fogões ou maçaricos. O P20, com 20 kg, é usado como combustível de empilhadeiras, e é o único botijão que pode ser utilizado na horizontal. O P45 comporta 45 kg e é utilizado, geralmente, em restaurantes. Finalmente o P13, que comporta 13 kg, é o mais utilizado nas residências.

No próximo post vamos falar sobre os cuidados na hora de comprar, instalar e utilizar o GLP engarrafado.

Botijão de Gás – Última parte. Cuidados.

Por pmontini

São muitos os aspectos que devem ser observados com relação ao botijão de gás. Já vimos, de passagem, alguns deles nos posts anteriores. Agora vamos abordar, mais detalhadamente, os cuidados com o botijão P13, ou de treze quilogramas, o mais utilizado nas residências.

Como comprar:

Ao comprar botijão de gás deve-se prestar atenção na identificação da distribuidora do produto. É importante que tanto o caminhão de entregas quanto o botijão tragam, claramente, a mesma marca  da distribuidora. Todo botijão de gás deve trazer um lacre sobre a válvula. Esse lacre não pode estar violado e deve apresentar, também, a marca da distribuidora. Recuse botijões muito amassados, enferrujados e com as alças soltas.

Sobre o peso do gás:

O botijão de gás de 13 kg deve ter, naturalmente, 13 kg de gás. Para conferir a quantidade de gás contida no botijão basta pesá-lo cheio e descontar o peso do botijão vazio (tara), que é informado na sua alça superior (colarinho).

O IPEM-SP fiscaliza diariamente as distribuidoras e os revendedores de gás em todo o Estado de São Paulo. A verificação da quantidade de gás contida nos botijões é feita por amostragem, e o tamanho da amostra depende do tamanho do lote presente no local de verificação. A fiscalização considera a média e o desvio padrão da amostra, além de erros individuais. O IPEM-SP também verifica se a tara corresponde, de fato, ao peso do botijão vazio.

Em caso de dúvida com relação à quantidade de gás contida no botijão, entre em contato com a Ouvidoria do IPEM-SP pelo telefone (11) 0800 0130522.

Na hora de instalar:

Instalar o botijão de gás no fogão é coisa relativamente simples, mas que exige cuidados. Em primeiro lugar, é preciso usar uma mangueira de gás e um regulador de pressão de gás aprovados pelo Inmetro. A mangueira é transparente com uma tarja amarela e traz a inscrição NBR8613 e a data de validade. O regulador de pressão tem a marca Inmetro gravada e é válido por cinco anos, após o que precisa ser substituído. Instale o botijão rosqueando a borboleta do regulador na válvula. Não use ferramentas para fazer isso, apenas as mãos. Para ver se há vazamento, faça espuma de sabão e aplique sobre a válvula. Se a espuma borbulhar é porque há vazamento. Repita a operação.  Não se assute com um pequeno vazamento, o gás não é venenoso e o botijão não irá explodir. Entretanto, caso o vazamento persista, é importante remover o botijão para um lugar ventilado e chamar a empresa distribuidora.

Coisas que você não deve fazer com um botijão de gás:

Nunca deite o botijão de gás e nem o coloque em local fechado. Não coloque qualquer tipo de dispositivo no regulador de gás como, por exemplo, manômetros para verificar a pressão. Nunca use mangueira de gás diferente da aprovada pelo Inmetro. O tamanho da mangueira também não pode ser aumentado, então nem pense em fazer extensões juntando várias delas. “Gambiarras” não combinam com GLP. Nunca passe a mangueira por trás do forno, o calor pode derretê-la e causar acidentes. Ao trocar o botijão, não deixe nenhuma chama acesa e nunca, jamais, em tempo algum tente ver se há vazamento usando um fósforo aceso, ok? Nunca aqueça o botijão para que ele “renda mais”.  Se, ao chegar em casa, você sentir cheiro de gás, não acione o interruptor de luz nem acenda qualquer chama. Vá direto para as janelas e abra tudo. Depois remova o botijão para um lugar ventilado e chame a distribuidora de gás. É bom ter o telefone da sua distribuidora sempre à mão.

tira-gas

tira-gas2

Botijão de Gás : Passamos de mil comentários!! Veja alguns temas!

Família de Botijões de GLP - Gás Liquefeito de Petróleo

Desde a criação do Almanaque temos procurado responder às mais variadas perguntas sobre Gás Liquefeito de Petróleo, o famoso gás de botijão, ou de cozinha. Embora os posts sobre o assunto tenham como objetivo esclarecer as dúvidas mais corriqueiras do consumidor, muita gente aproveita para perguntar sobre aspectos mais complexos como instalações em condomínios, características técnicas do GLP e dos botijões, legislação e até mesmo sobre algumas perigosas adaptações e “gambiarras”.

Por conta disso, e para comemorar os mais de mil comentários já postados, vamos abordar aqui, ao longo das próximas semanas, algumas dessas questões menos comuns, mas não menos relevantes.

1- GLP: Gás que a Lei Proíbe…

A Lei Federal n° 8.176/91 proíbe o uso de GLP em motores de qualquer espécie, saunas, caldeiras e aquecimento de piscinas, ou para fins automotivos (crime contra a ordem econômica e pena detenção de um a cinco anos!!). Então, quem pretendia fazer aquela famosa gambiarra de instalar um botijão de gás no carro, é melhor desistir. Além de perigosíssimo, dá cadeia!

A Lei Estadual nº 9.494/97 proíbe o uso, no Estado de São Paulo, do botijão de GLP de 13 kg (P-13) que não seja para fins domésticos. Isso quer dizer que é proibido usar o P-13 para fins comerciais, ou seja, em oficinas (solda), em restaurantes, padarias, pizzarias, churrasqueiras de frango, barracas e veículos de comida de rua… Enfim, você entendeu.

2- As impressionantes questões da pressão.

Dentro dos botijões o gás é mantido em estado líquido sob pressão, entre 4 kgf/cm² a 7 kgf/cm² (ou 392 kPa a 686 kPa em unidades SI). A pressão interna nos botijões é a mesma, não importa a capacidade. No P-13, P-8 e P-5 o regulador de pressão (conhecido popularmente como “click” ou “registro”) reduz essa pressão toda em até 250 vezes (cerca de 2,8 kPa) para uso nos fogões domésticos de baixa pressão.

Enquanto os botijões de 5 kg, 8 kg e 13 kg são projetados para operar com equipamentos a gás de baixa pressão (fogões, fornos, churrasqueiras, etc.), o botijão de 2 kg (P-2) é projetado para uso em fogareiros e lampiões de alta pressão, em geral acoplados diretamente sobre a válvula do botijão. Então, nada de usar o P-2 num fogão de baixa pressão (a rosca da válvula do P-2 é incompatível com a rosca do regulador de pressão) e nem usar o P-5, P-8 ou P-13 com fogareiros e lampiões de alta pressão.  Para fogões e fornos industriais de alta pressão, use o P-45, aquele cilindro que contém 45 kg de GLP.

3- Botijão congelado é uma fria, e também é uma questão de geometria!

Às vezes acontece: O botijão começa a esfriar, “transpirar” e, em alguns casos, surge uma camada de gelo sobre a superfície que congela o sistema e acaba interrompendo o fornecimento do GLP.  Esse fenômeno intrigante tem uma explicação muito simples: Consumo muito rápido de gás. E é aqui que a geometria entra! Veja só:

Dentro do botijão o GLP permanece na fase líquida, submetido a grande pressão. Para ser consumido o produto precisa voltar à fase gasosa e, para isso, é necessário que ele receba calor do ambiente através da parede do botijão. Quanto maior for a superfície relativa (área da parede em relação ao volume) do botijão, maior a capacidade de receber calor do ambiente. Assim, um botijão P-45 consegue vaporizar cerca de 1 kg/h, enquanto o botijão P-13 vaporiza cerca de 600 g/h, o botijão P-8 uns 500 g/h e um P-5 gaseifica 400 g/h.

Por isso, quando o consumo ultrapassa a capacidade de vaporização do botijão, o processo de despressurização do GLP passa a exigir mais calor do que o botijão consegue trocar com o ambiente. Como consequência, a superfície do botijão esfria e passa a condensar o vapor d’agua presente no ar, dando a impressão de que o botijão está transpirando. Aí, se o consumo continuar elevado as gotículas de água podem congelar, o que provoca a formação de gelo e a interrupção do fornecimento de gás por falta de energia (calor) para a vaporização.

Se isso acontecer basta fechar todos os registros (do fogão, forno, churrasqueira, etc.) e aguardar o descongelamento natural do botijão. Dias muito frios favorecem a ocorrência desse fenômeno. Porém, quando o congelamento ocorre com frequência é sinal de que o sistema de alimentação de GLP está subdimensionado, e talvez exija a substituição do regulador de pressão ou o acréscimo de mais botijões.

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


A ideia de engarrafar gás iniciou-se em 1810, quando os europeus desenvolveram este processo vendendo cilindros de gás comprimido.

Nessa época, os dois combustíveis mais utilizados eram a lenha e o carvão vegetal, principalmente no inverno, quando o fogão também funcionava como aquecedor residencial.

A história da Liquigás começou na Itália, pouco antes da Segunda Guerra Mundial. Foi uma das pioneiras na exploração comercial do Gás Liquefeito de Petróleo – GLP, para o uso doméstico.

Após o sucesso na Europa, a Liquigás voltou suas operações para o mercado exterior. Em 1953, a empresa formou uma equipe de vendedores e técnicos para montarem uma nova distribuidora, a partir do zero, no novo país de interesse de expansão: o Brasil. Trouxeram inicialmente 187.500 botijões vazios de 10 quilos e o conhecimento do produto a ser comercializado. Nesta época, apenas duas distribuidoras atuavam no Brasil.

A ideia inicial da Liquigás era a criação de companhias regionais, com a participação de sócios brasileiros. Em 1954, em São Paulo, foi constituída a Liquigás do Brasil.

Apesar de a empresa estar sediada em São Paulo, a Liquigás do Brasil começou a operar em Salvador utilizando o GLP produzido na refinaria de Mataripe.

O envase era feito na própria refinaria e os botijões eram transportados em barcaças a Salvador, para distribuição domiciliar, dando início a uma experiência piloto, já que as empresas instaladas no país, comercializavam seus botijões a partir da venda inicial conjunta de fogão e botijão.

A Liquigás do Brasil, partindo para a venda exclusiva do gás, rapidamente montou uma rede própria de concessionários e no dia 6 de agosto de 1955, marcou sua entrada efetiva no mercado paulista.

Na época, foi lançada uma campanha para divulgação e o anúncio de que estavam abertas inscrições para a nomeação de concessionários. Centenas de comerciantes se candidataram à concessão. A procura foi tão grande que a Liquigás do Brasil abriu o mercado no interior dos estados de São Paulo e Mato Grosso, evitando confronto direto com a concorrência, que se encontrava concentrada na Capital. Esta foi a chave de um rápido sucesso.

Liberados para comercializar qualquer marca de fogão, os concessionários incentivaram com fidelidade a revenda do gás da nova distribuidora.

Seguindo esquema de constituição societário adotado em São Paulo, foram criadas as  coligadas Liquigás do Paraná – Santa Catarina, Liquigás do Rio Grande do Sul e Liquigás de Minas Gerais – Espírito Santo.

No início das atividades, os botijões para o Paraná e Rio Grande do Sul eram transportados por via marítima partindo de Santos. Em Minas Gerais o GLP era recebido da REDUC (Refinaria Duque de Caxias), por via rodoviária.

Em 1968, a Liquigás do Brasil comprou parte de sócios regionais a fim de unificar a Companhia, que passou a operar com uma única administração com sede em São Paulo.

A Liquigás do Brasil foi pioneira ao trazer para o Brasil os Carrosséis Eletrônicos Mássicos, um sistema de engarrafamento de GLP para botijões de 13 quilos, que modernizou o processo de engarrafamento nos centros operativos.

Esses equipamentos são gerenciados por computadores, desde o início do processo até a aprovação final do produto, o que confere maior precisão no engarrafamento e traz mais segurança tanto para o consumidor quanto para a equipe de profissionais da empresa, pois diminui a possibilidade de acidentes de trabalho.

A preocupação com o peso certo também sempre fez parte da empresa.

Na década de 70, a crise mundial do petróleo que afetava os países cancelou grandes investimentos e gerou modificações estruturais. A Liquigás do Brasil adquiriu a Heliogás do grupo Motecatini.

Em 1981, a Agip Petroli – multinacional italiana pertencente ao Grupo ENI (Ente Nazionale Idrocarburi) comprou a Liquigás do Brasil, transformando-a em AgipLiquigás.

Em 1984, em sociedade com outra distribuidora de GLP, a AgipLiquigás, constituiu a Novogás – Cia Nordestina de Gás, atuando no nordeste do país. Em 1990, a Novogás expandiu sua área de atuação, adquirindo a Tropigás, que já atuava no norte do país.

A partir de 1997, a AgipLiquigás passou a ser a única acionista, assumindo o controle efetivo das duas marcas: Novogás e Tropigás.

Em 1998, ingressou no segmento de distribuição de combustíveis adquirindo a rede de postos combustíveis São Paulo, aumentando sua participação neste mercado com a aquisição de parte da rede de postos Shell Brasil em 2000 e da rede Ipê Distribuidora de Petróleo em 2001.

Em 1999, passou a atuar de forma independente na produção e distribuição de lubrificantes automotivos e industriais e a fabricar registros de gás para uso doméstico.

Em dezembro de 2000, a AgipLiquigás mudou sua denominação social para Agip do Brasil S.A..

Em agosto de 2004, a Petrobras Distribuidora S.A – BR, subsidiária integral da empresa Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, oficializou a compra da Agip do Brasil S.A., que passou a utilizar provisoriamente a denominação social de Sophia do Brasil S.A.

A partir de 1° de janeiro de 2005, a empresa começou a atuar no mercado como Liquigás Distribuidora S.A.

Em novembro de 2012, após uma reorganização societária, passou a ser subsidiária direta da Petrobras S.A.

Hoje, a Liquigás, subsidiária da Petrobras, é líder no mercado de botijões de gás de até 13 kg e uma das maiores distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo do Brasil.

Fontes:
Site Petrobras
Revista Direcional Condomínios – Edição Março de 2002
Os pioneiros do GLP: Meio século de História
Lao Revista – Ano III nº 17, 1995

Site Liquigás

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza nesta quinta-feira (10), no auditório do escritório central do Rio de Janeiro, a segunda etapa da 13ª Rodada de Licitações – Acumulações Marginais.

Ao todo, serão ofertadas 10 áreas inativas com acumulações marginais em bacias de novas fronteiras e bacias maduras, distribuídas em oito setores de seis bacias sedimentares, com total de 53 km² de áreas em oferta.

Áreas inativas com acumulações marginais compreendem o campo de concessão com descobertas conhecidas de petróleo e/ou gás natural onde não ocorreu produção ou a produção foi interrompida por falta de interesse econômico, explicou a agência.

Objetivo
A agência explicou que o objetivo principal deste leilão é “oferecer oportunidades a pequenas e médias empresas, possibilitando a continuidade dessas atividades nas regiões onde exercem importante papel socioeconômico, com geração de empregos e distribuição de renda”.

Ainda de acordo com a ANP, todos os oito setores previstos no edital receberam confirmação de interesse de 21 empresas inscritas e aprovadas pela Comissão Especial de Licitação (CEL), “por isso, todos serão oferecidos na sessão pública de apresentação de ofertas”.

As inscrições para participação foram encerradas no dia 6 de outubro deste ano, e as áreas estão localizadas nos estados da Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Paraná e Rio Grande do Norte, são: São João, Alto Alegre, Iraí, Bela Vista, Riacho Sesmaria, Paramirim do Vencimento, Fazenda Gameleira, Miranga Leste, Lagoa do Doutor e Barra Bonita.

Primeira etapa
A 13ª rodada de licitações de blocos exploratórios, realizada no dia 7 de outubro, terminou com apenas 14% das ofertas arrematadas. Ao todo, foram oferecidos 266 blocos, em 22 setores de 10 bacias sedimentares – mas apenas 37 foram arrematadas. A Petrobras não fez nenhuma oferta no leilão.

“Essa área representa 14% dos blocos ofertados, que foram originalmente 266 blocos. Arrematados foram, então, 37, dos quais 35 em terra, e dois no mar”, afirmou a presidente da ANP, Magda Chambriard, na ocasião.

O valor mínimo dos bônus de assinatura dos blocos exploratórios – caso todos fossem arrematados – foi estabelecido em R$ 978,77 milhões. Com a falta de interesse em vários blocos, no entanto, o bônus acumulado final (valor pago pelas empresas na assinatura do contrato) ficou em R$ 121.109.596,73. Segundo a ANP, a assinatura dos contratos está prevista para o dia 23 de dezembro.

Fonte: Sindigás

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


O Banco do Brasil assinou na semana passada convênios de cooperação recíproca com a AleSat Combustíveis e a SHV Gas Brasil, para a concessão de benefícios aos postos de combustíveis com a bandeira ALE e às revendas MinasGás e SupergasBrás.

O acordo prevê condições diferenciadas de linhas de crédito para capital de giro, financiamento de investimentos, serviços de cobrança bancária e custódia de cheques. Também contempla ações de divulgação em postos e revendas para estimular outros negócios com o BB, como por exemplo, contratação de operações de BNDES Finame e utilização do cartão BNDES.


A iniciativa fortalece a atuação do Banco no setor de combustíveis e gás liquefeito de petróleo. A AleSat Combustíveis é a quarta maior distribuidora de combustíveis do País em número de postos e a SHV Gas Brasil, empresa holandesa subsidiária da SHV Gás, é a maior distribuidora privada de gás LP do mundo.


Para ter acesso aos benefícios do convênio, o posto de combustível e a revenda deverão apresentar à sua agência de relacionamento carta de apresentação dirigida ao Banco confeccionada pela AleSat Combustíveis e pela SHV Gas.


O BB no setor de óleo e gás


O Banco do Brasil tem grande participação no setor de óleo e gás. O saldo total dos empréstimos concedidos pelo BB para o setor de óleo e gás cresceu mais de 25% nos últimos 12 meses, com destaque para operações de investimento e capital de giro. Desta forma, o Banco do Brasil manteve a liderança nesse segmento chave da indústria financeira.


Para atender os atuais investimentos e as previsões de desenvolvimento do setor, o Banco do Brasil possui duas agências especializadas em petróleo e gás, uma no Rio de Janeiro e outra em São Paul
o.


Assessoria de Imprensa BB
imprensa@bb.com.br
(61) 3102-3532

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


Após seis anos do início das operações do gasoduto Urucu-Coari – Manaus, o os donos de veículos particulares na capital amazonense vão ganhar um incentivo para aderir à utilização do Gás Natural Veicular (GNV), ou ‘kit gás, o que até hoje era mais comum entre os motoristas de táxi. A economia poderá ser de até 40% em relação ao preço da gasolina e do diesel, que vêm sofrendo constantes aumentos.

A novidade foi anunciada na manhã de quarta-feira (25) pelo diretor-presidente da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), Lino Chíxaro, na manhã desta quarta-feira (25), durante a inauguração do quarto posto de combustível com GNV, localizado na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, Zona Oeste da cidade.

Segundo o presidente, os consumidores terão um desconto de R$ 1 mil na aquisição do kit gás, que atualmente custa em torno de R$ 4 mil. A ação de incentivo à aquisição do equipamento deve iniciar a partir do dia 6 de abril, com duração de seis meses.  Nesse período, o amazonense poderá usufruir do desconto e converter os veículos em uma das cinco oficinas propensas a dar o desconto e autorizadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

 “O preço é tarifado pelo governo federal por meio da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam), com base em custos que já existem. Ao custo de R$ 2,30 o metro cúbico, o GNV é uma opção até 40% mais barata que a gasolina. O gás acaba sendo muito mais vantajoso financeiramente e economicamente”, disse.

Ainda na manhã desta quarta, um quinto posto com GNV foi inaugurado na avenida Constantino Nery, Zona Centro-Sul. Os cinco postos credenciados na capital vão atender uma demanda de 1.649 carros, já convertidos na cidade, além dos novos que aderirem à proposta.

Chíxaro acrescentou que, para junho, o governo estadual estuda um incentivo para reduzir o valor dos kits para aproximadamente R$ 3 mil. O diretor-presidente comentou ainda que quem adere à utilização consegue recuperar em até oito meses o que gastou com o ‘kit gás’.

O governador José Melo, presente na inauguração, disse que a expansão da rede da Cigás significa benefícios para a população e que atualmente, a companhia é o principal fornecedor para geração de energia elétrica e já atende 50 empresas do Polo Industrial de Manaus  (PIM) com o combustível.

“O Amazonas tem três grandes bacias de gás e vamos ter em abundância durante bastante tempo. Esse gás veicular vem em um momento importante em que a gasolina está muito cara. O importante é continuar expandindo o fornecimento e as linhas de financiamento para transformar o carro para usar o gás veicular. Estamos empenhados nisso”, frisou o governador.

José Melo afirmou ainda que o governo está firmando um acordo para aumentar a rede de fornecimento da Cigás em todo o Estado. Para este ano, a companhia projeta investimentos da ordem de R$ 70 milhões. De acordo com balanço apresentado pelo presidente da Cigás, somente neste primeiro semestre, R$ 30 milhões estão sendo aplicados na expansão da rede de abastecimento de gás natural para as indústrias e na abertura de novos postos com o GNV. Ano que vem, a Companhia inicia o processo para levar o gás ao consumidor residencial.

Fonte: Em Tempo – Manaus/AM – Abegás

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


Botijões P-20 e P-20i

O P-20 e o P-20i possuem o mesmo volume e têm a mesma aplicação: o uso em balões e empilhadeiras. A única diferença entre eles é a forma de reabastecimento com GLP.

O primeiro é retornável, ou seja, após o uso do gás, deve ser retirado do local onde se encontra e enviado à Liquigás. Já o P-20i não necessita desta retirada, pois possui uma válvula como um tanque de combustível, para que próprio cliente, por meio de uma central chamada gas station (central de gás em português), possa injetar o GLP até, no máximo, 85% de sua capacidade. Para garantir o cumprimento deste limite, existe uma válvula de excesso que aponta a hora de parar o abastecimento.

Entre suas características, a principal é que este é o único formato no qual o GLP sai do botijão na forma líquida. Ele é direcionado ao carburador das empilhadeiras, local onde acontece sua queima. Além disso, apresenta o sistema de segurança por meio de uma válvula. Se a pressão interna no botijão ultrapassar o equivalente a 17,5 kgf/cm², automaticamente esse dispositivo – que é formado por uma mola – se move e libera o gás até que o volume interno entre em equilíbrio

A válvula serve como precaução e evita que o cilindro seja abastecido além da capacidade recomendada, o que poderia provocar rompimento do sistema

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


Manual de uso e instalação aquecedor a gás por acumulação 1 ÍNDICE Página 1) INTRODUÇÃO 02 2) RECOMENDAÇÕES GERAIS 02 2.1) Prazos de garantia 02 2.2) Transporte e armazenagem 02 2.3) Instalação 02 2.4) Manutenção 05 3) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 06 4) PARTES DO AQUECEDOR 07 5) INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO 07 5.1) Local de instalação 07 5.2) Instalação hidráulica 09 5.3) Ligação do gás 16 5.4) Altura da chaminé 17 5.5) Aquecedor a gás por acumulação com auxilío elétrico 17 5.6) Instruções para acendimento 18 5.7) Ajustes do queimador 19 5.8) Considerações importantes quanto a instalação 19 6) ANTES DE CONTACTAR A ASSIST. TÉCNICA VERIFIQUE 21 7) CERTIFICADO DE GARANTIA 23 REVISÃO OUT. 2004 Manual de uso e instalação aquecedor a gás por acumulação 2 1) INTRODUÇÃO O objetivo deste manual é colocar à disposição dos usuários e daqueles que têm interesse em conhecer as características do aquecedor CUMULUS a gás por acumulação informações que facilitem a instalação, funcionamento e conservação do equipamento. Milhares de usuários dos Aquecedores CUMULUS comprovam a qualidade deste aparelho, dispondo de água quente conforme suas necessidades e na temperatura desejada, em um ou vários pontos de consumo simultaneamente. Nas páginas seguintes, encontram-se os dados e referências para a adequada manutenção, funcionamento e conservação do aquecedor. Se as informações contidas neste manual forem insuficientes, a CUMULUS está à disposição para esclarecer qualquer ponto de seu interesse. 2) RECOMENDAÇÕES GERAIS 2.1) PRAZOS DE GARANTIA: Modelo Inox: 3 anos contra vazamento no tambor interno Modelo Termoglas: 1 ano contra vazamento no tambor interno Termostato, queimador e válvula de segurança de pressão: 1 ano Deslocamento e mão-de-obra para atendimento técnico: 90 dias IMPORTANTE: Antes de iniciar a instalação de seu equipamento leia atentamente as informações a seguir. Instalação irregular implica na perda da garantia do produto. 2.2) TRANSPORTE E ARMAZENAGEM – Utilizar carrinho, palet ou quando na falta dos mesmos, movimentá-lo com pelo menos duas pessoas; – Evitar batidas ao transportar o aquecedor ou instalá-lo em ambientes de pequeno espaço o que dificulta o manuseio e aumenta-se o risco de amassar a capa externa. Os aquecedores a gás não devem ser instalados em ambientes confinados e sem ventilação. – Armazená-lo em lugar seco e protegido de substâncias agressivas, tais como: cal, ácidos, tintas, cimento, etc. 2.3) INSTALAÇÃO – A instalação adequada do aparelho é condição fundamental para seu bom funcionamento. A norma brasileira NBR 7198/93 – “PROJETO E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE” , estabelece as Manual de uso e instalação aquecedor a gás por acumulação 3 exigências técnicas quanto a segurança, economia e conforto que devem obedecer as instalações prediais de abastecimento de água quente e a NBR 13103 – “ADEQUAÇÃO DE AMBIENTES RESIDENCIAIS PARA INSTALAÇÃO DE APARELHOS QUE UTILIZAM GÁS COMBUSTÍVEL”, as condições mínimas exigidas para o projeto e execução das instalações de aparelhos que utilizam gás combustível; – Recomenda-se instalá-lo sobre uma base de no mínimo 5 cm, para evitar contato com a água na lavagem de pisos; – Os aquecedores devem ser alimentados pelo reservatório superior de água fria, bombas pressurizadoras com pulmão ou por dispositivo hidropneumático, nunca diretamente da rede pública; – A tubulação de alimentação de água fria e a de distribuição de água quente do aquecedor, devem ser de material resistente à temperatura máxima admissível da água quente. Não utilizar tubulações em PVC; – Na opção por tubulações em CPVC, recomenda-se a colocação da válvula de segurança de temperatura (termoválvula) na instalação hidráulica conforme orientações técnicas do fabricante do CPVC. A alimentação de água fria para o aquecedor deve ser executada em cobre; – Não instalar o aquecedor à mesma coluna que alimenta as válvulas de descarga; – Fazer a sifonagem (cavalete) antes da entrada de água fria do aquecedor conforme esquemas de instalação; – É proibido o uso de válvula de retenção conforme item 5.1.3 NBR 7198/93 no ramal de alimentação de água fria do aquecedor na ausência do respiro; – Certificar-se da colocação da válvula de segurança e do respiro, condições fundamentais para a segurança do seu aparelho. A válvula de segurança é instalada na entrada de água fria do aquecedor e o respiro no ponto mais elevado do ramal de distribuição de água quente sendo que o respiro é executado em instalações de baixa pressão, conforme esquemas gerais de instalação; – Para obtenção de pressão mínima nos pontos de consumo, o fundo da caixa d’água fria deverá estar pelo menos 1,10 m acima da laje. Recomendamos consultar um profissional da área de projetos hidráulicos para dimensionamento da rede hidráulica para certificar-se que a altura da caixa seja suficiente para atender as condições mínimas de pressão; Manual de uso e instalação aquecedor a gás por acumulação 4 – Em instalações de baixa pressão, recomenda-se que o diâmetro da tubulação de água fria que alimenta o aquecedor seja superior ao seu diâmetro de entrada; Saiba mais, acesse o link

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br

GLP


O GLP, Gás Liquefeito de Petróleo, também conhecido como “gás de cozinha”, é um combustível formado pela mistura de dois gases extraídos do petróleo: propano e butano. Ele tem a característica de ficar em estado líquido quando submetido a uma certa pressão.

Quando você dá preferência ao GLP, está estimulando a produção de uma energia limpa, que não produz resíduos tóxicos e ajuda até mesmo a poupar árvores. A queima de lenha nas residências ou em qualquer ambiente fechado, além dos óbvios problemas ambientais que ocasiona também provoca sérios problemas de saúde pela inalação de gases tóxicos.

Originalmente, o GLP é inodoro, ou seja: não tem cheiro. Por isso, recebe um composto a base de enxofre para caracterizar seu odor, a fim de ser percebido na ocorrência eventuais vazamentos de gás. Além disso, tem a vantagem de ser facilmente armazenado e transportado a partir do engarrafamento em vasilhames de pequeno a grande porte (botijões, cilindros ou tanques).

Existem diferentes tipos de embalagens para a comercialização do GLP, sendo a principal delas o P-13 (utilizado em residências para cocção de alimentos, também conhecido como gás de cozinha). Entre as outras embalagens comercializadas estão o botijão P-2(utilizado em fogareiros e lampiões), o P-20 (utilizado em moto empilhadeiras) e o P-45 (utilizado no meio industrial, comercial e residencial).

Apesar de ser mais conhecido para fins residenciais, o GLP é adotado também em um grande número de aplicações industriais, em pequenos e médios negócios, como restaurantes, padarias, pizzarias, hotéis e motéis, além da utilização no agronegócio, com elevados níveis de economia e eficiência. Brasilgás

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br

Vantagens.

ics_GasLP_ambientalmente_amigavel
AMBIENTALMENTE AMIGÁVEL
O GLP contribui para a redução da poluição ambiental e da redução das emissões de carbono, tornando o mundo mais limpo. Portanto, o GLP pode ser usado em contato direto com alimentos, produtos químicos e farmacêuticos, sem nenhum prejuízo à pureza e a qualidade desses produtos. Além disso, o GLP não é tóxico, não contamina os mananciais de água nem o solo, e seu consumo evita a queima de milhões de árvores no Brasil.
ics_GasLP_versatil
VERSÁTIL
O GLP pode ser usado em residências e estabelecimentos comerciais. É mais utilizado na cozinha, para o preparo de alimentos, mas também pode ser utilizado em aquecedores de ambientes a gás (calefação) e de aquecedores de água a gás. O chuveiro a gás LP é mais eficiente, pois produz água quente imediatamente, em grande quantidade e com muita pressão. Além disso, o sistema é mais seguro e até 60% mais econômico do que o chuveiro elétrico.
ics_GasLP_na_industria
NA INDÚSTRIA
Hoje, o GLP assume importância também na matriz energética industrial. Muitas indústrias conhecem as facilidades e as vantagens de utilizá-lo como fonte de energia para suas linhas de produção: este combustível é eficiente, competitivo e não poluente.

Industrialmente, o GLP é utilizado em todos os segmentos de atividades industriais como siderurgia, metalurgia, cerâmica, papel e celulose, alimentos e bebidas, vidros e na agroindústria. Além disso também pode ser utilizado em processos da indústria química, farmacêutica e de cosméticos onde a demanda por qualidade é altíssima

ics_GasLP_na_agricultura_e_avicultura
NA AGRICULTURA E AVICULTURA
O GLP atende a diversos processos agrícolas, principalmente à secagem e torrefação de grãos e ao combate de pragas, reduzindo ou eliminando o uso de agrotóxicos.
Em relação a outros combustíveis utilizados no Agronegócios o GLP desponta como a melhor solução por conta das seguintes características:

– É um energético que possui uma queima limpa;
– É possível controlar a temperatura da queima;
– Não produz sedimentos oriundos da queima;
– É um energético que pode ser transportado e estocado;
– Substitui defensivos agrícolas de natureza química, evitando dessa forma a contaminação do solo e dos aquíferos subterrâneos, rios, lagos e mares;
– Permite uma produção mais natural;
– Evita a derrubada de matas e florestas nativas, substituindo com maior eficiência a lenha e o carvão vegetal;
– É o energético que menos agride o meio ambiente;

Na avicultura, o GLP é reconhecido como um energético altamente adequado para aquecimento de ambientes, por ter menor custo do que a eletricidade e apresentar menores índices de poluição que os combustíveis sólidos e líquidos.


O melhor para seu condomínio
Caso queira uma fonte de energia confiável e econômica em seu condomínio, conte com o Ultragaz UltraSystem. Existem várias maneiras de implementá-lo: :
 Aquecedores de água a gás

Cada vez mais, o GLP está sendo utilizado no aquecimento de água, já que se trata de uma fonte de energia mais econômica do que a elétrica. O GLP como aquecedor de água a gás pode ser utilizado em chuveiros, torneiras, banheiras de hidromassagem etc.

Além de ser seguro, o GLP fornece de imediato um fluxo constante de água quente, propiciando maior conforto ao consumidor final.
Aquecedores de ambientes a gás

O GLP pode ser utilizado para aquecer ambientes internos e externos.

No aquecimento interno, o equipamento mais comum é o aquecedor de ambientes. O GLP também pode ser utilizado em lareiras, mantendo o prazer proporcionado pelo uso das mesmas, mas com a vantagem de não utilizar a lenha, que é um combustível cuja queima é altamente prejudicial à saúde humana e ao meio ambiente.

No aquecimento externo são utilizados equipamentos denominados de “patio heater” que possuem as mesmas características dos aquecedores de ambientes. São equipamentos que podem ser mudados de lugar, garantindo o conforto das atividades externas de lazer, em dias ou noites mais frias.

No cozimento de alimentos

O uso mais difundido do GLP é, certamente, o cozimento de alimentos, pois fornece uma chama limpa e de grande poder calorífico. Além dos fogões a gás e fornos convencionais, existem também fogareiros portáteis, que podem ser utilizados em áreas de lazer, camping etc.

Em Churrasqueiras

As churrasqueiras que utilizam um recipiente de GLP podem ser usadas em jardins, áreas externas ou varandas. Além disso, as churrasqueiras que utilizam o GLP como combustível não causam os malefícios, como o carvão, que é extremamente prejudicial à saúde pela liberação de gases e partículas nocivas.

Em refrigeração

Pela tecnologia chamada “ciclo de absorção”, o GLP pode ser utilizado para a produção de frio, em câmaras de refrigeração e salas climatizadas.

Fonte: https://www.brasilgas.com.br/UltragazPortal/faces/oracle/webcenter/portalapp/pages/condominios/sejacliente/melhorParaSeuCondominio.jspx?_afrLoop=232067916019271&_afrWindowMode=0&_adf.ctrl-state=4pbknnyzd_4

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br


INDUSTRIAL

Veja alguns exemplos do uso de GLP no segmento industrial:

  • Siderúrgicas: aquecimento de fornos;
  • Cerâmicas e Fundições: queima do material e secagem para redução de umidade;
  • Indústria de Papel e Celulose: secagem do papel;
  • Indústria de Vidro: fundição, moldagem do material, solda e acabamento;
  • Indústria Automotiva: secagem da tinta na pintura;
  • Indústria Têxtil: secagem de tecidos e fixação;
  • Indústrias Gráficas: secagem do papel em máquinas rotativas.

RESIDENCIAL (Casas e Condomínios) / COMERCIAL e SERVIÇOS (restaurantes, cozinhas industriais, padarias, supermercados, lavanderias, hotéis, clubes, academias, hospitais etc.)
Veja alguns exemplos do uso de GLP nestes segmentos:

  • Preparo de alimentos;
  • Aquecimento de água;
  • Climatização de ambientes;
  • Churrasqueira;
  • Secagem de roupas;
  • Esterilização de objetos.

AGRÍCOLA
Veja alguns exemplos do uso de GLP no segmento agrícola:

  • Secagem de Grãos/Tomates/Bananas/Pimentão/Maçã: aqueça a produtividade com a tecnologia Liquigás. Saiba Mais
  • Torrefação de Grãos: queima de sementes.
  • Avicultura: aquecimento de pintos em aviários com o objetivo de acelerar o crescimento. Saiba Mais
  • Horticultura: aquecimento em estufas.

GLP PARA AEROSSÓIS
Utilização do Gás Liquefeito de Petróleo como propelente. Saiba Mais

GLP PARA EMPILHADEIRAS
Reabastecimento de empilhadeiras. Saiba Mais

Dica para Economizar  de Gás GLP

As Válvulas Gazul tem o poder de eliminar as chamas vermelhas e amarelas que são lixo de Gás (CO2), transformando o lixo em Gás para consumo do cliente; após a instalação da Válvula Gazul as chamas passam a ter a cor azul intenso, e fará a cocção de alimentos em menor tempo, economizando 50% no consumo de Gás GLP , evitando “pretejarpanelas e outros acessórios de cozinha.

REDUZA GASTOS COM GÁS GLP ATÉ 50% E ENERGIA ELÉTRICA EM ATÉ 25% . PAGUE COM AREDUÇÃODA CONTA. SOLICITE-NOS UM DIMENSIONAMENTO TÉCNICO GRÁTIS Contato: ECO ENERGIAS – Telefone (011) 4115.3115/ Cel 98245.9002 Tim Corporate. E-Mail : ecoenergias01@yahoo.com.br